Fátima, altar do mundo. Seus caminhos.
01/07/2018 08:32 em Novidades

De: www.visitportugal.com

O Santuário de Fátima é uma das maiores referências do culto mariano, a que acorrem peregrinos de todo o mundo. 

O local onde está o Santuário de Fátima, a Cova da Iria, era até 1917 um lugar desconhecido do concelho de Ourém, na freguesia de Fátima. Nesse ano, um acontecimento religioso veio mudar para sempre a sua história e importância, quando três crianças pastoras, Jacinta e seus dois primos Francisco e Lúcia, testemunharam sucessivas aparições de Nossa Senhora do Rosário. Encarado inicialmente com relutância pela Igreja mas acarinhado pelo povo, o fenómeno só em 1930 seria reconhecido pelo bispo de Leiria. A partir de então o desenvolvimento da localidade foi notório, levando a que Fátima fosse elevada a vila, em 1977, e a cidade, em 1997. 

A fama mundial do Santuário acentuou-se durante o papado de João Paulo II, assumido devoto de Nossa Senhora de Fátima que em 1982 aí se deslocou em agradecimento por ter sobrevivido a um atentado um ano antes. Em 2000, na sua terceira visita ao local, anunciou a beatificação de Jacinta e Francisco, a quem o Vaticano atribuiu o milagre de uma cura. 

13 de maio foi a data da primeira aparição, seguida de outras no mesmo dia dos meses seguintes até outubro, e marca também as principais celebrações de Fátima. Um dos momentos mais importantes é a Procissão das Velas, na noite de 12 de maio, em que os milhares de velas dos fiéis que enchem a grandiosa praça do Santuário concedem a este lugar um ambiente mágico, de comunhão e devoção religiosa. Tão impressionante quanto a Procissão do Adeus no dia 13. 

Mas todos os meses, especialmente nos dias 12 e 13, milhares de peregrinos acorrem a Fátima guiados pela sua fé. Partindo de diversos pontos do país, muitos deles fazem esse percurso a pé, seguindo por estradas e caminhos rurais. Para facilitar as deslocações foi identificado um conjunto de quatro Caminhos de Fátima que foram sinalizados no terreno – Caminho do Tejo, Caminho do Norte, Caminho da Nazaré e Caminho do Mar – e podem facilmente ser seguidos, mesmo por quem conhece mal a região.

Mesmo quem não é crente não fica indiferente quando está no Santuário, pela sua grandiosidade, pela espiritualidade que se sente e pelo simbolismo.

Ao entrar no Recinto das Orações, vê-se num dos extremos a Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima com a sua alta torre de 65 metros. Ao centro, o Monumento ao Sagrado Coração de Jesus e, num dos lados, fica a Capela das Aparições, precisamente onde Nossa Senhora pediu aos pastorinhos que construíssem uma capela. 

No extremo oposto, foi inaugurada em 2007 a Igreja da Santíssima Trindade - Basílica Menor, uma moderna obra de arquitetura com 125 metros de diâmetro, sem apoios intermédios, e com capacidade para receber cerca de 8700 pessoas. O projeto é da autoria do arquiteto grego Alexandros Tomazis, com intervenções de outros artistas como os portugueses Álvaro Siza Vieira e Pedro Calapez. No exterior, vemos uma Cruz Alta em bronze, da autoria do alemão Robert Schad.

Em 2017, comemorou-se o centenário das aparições. Nos dias 12 e 13 de Maio, as habituais celebrações religiosas contaram com a presença de Sua Santidade o Papa Francisco. 

Na localidade, para além do Santuário, pode ainda visitar-se o Museu de Arte Sacra e Etnologia, o Museu de Cera, o Museu Fátima 1917 e o Presépio e Aldeia de Belém Animados

A cerca de 2 km, fica Aljustrel, onde os pastorinhos viveram. Para reconstituir a história há ainda que ir à Loca do Anjo e a Valinhos, outros locais relacionados com as aparições. 

Para conhecer a região, sugerimos um itinerário que passe por Leiria, pela costa entre as praias de São Pedro de Moel e da Nazaré e por dois monumentos classificados Património da Humanidade, o Mosteiro da Batalha e o Mosteiro de Alcobaça.

Existem vários meios de transporte que ligam Fátima ao resto do país, mas são muitas as pessoas que preferem fazer esse percurso a pé guiadas pela sua fé em cumprimento de promessas, em busca da espiritualidade ou simplesmente pelo prazer de caminhar num encontro com eles próprios.

Estes percursos evitam as estradas principais, preferindo estradas rurais com menos trânsito. Quatro dos caminhos habitualmente percorridos pelos peregrinos - Caminho do Tejo, Caminho do Norte, Caminho da Nazaré e Caminho do Mar - estão sinalizados no terreno e ligam Fátima a diversos pontos do país. 

Caminho do Tejo entre Lisboa e Fátima parte do Parque das Nações com passagem por Santarém. Ao longo deste percurso, que totaliza cerca de 141 kms, existem vários locais para alojamento e restauração onde é possível descansar e recuperar forças. Parte deste caminho coincide com o Caminho para Santiago e por isso no marco inicial, colocado a sul do Pavilhão de Portugal, encontra-se também essa sinalização. 

Pavilhão de Portugal
Photo: Pavilhão de Portugal ©Arquivo Turismo de Portugal

Já o Caminho do Norte coincide totalmente com o Caminho para Santiago, pelo que está assinalado com marcos alusivos a ambos os percursos. No território português este caminho percorre cerca de 260 kms e tem início na fronteira de Valença, passando pelo Porto e Coimbra, sempre com diversas possibilidades de alojamento e restauração.

Valença - Rio Minho
Photo: Valença - Rio Minho ©João Paulo

Caminho da Nazaré liga Fátima a outro santuário dedicado a Nossa Senhora e pode ser percorrido nos dois sentidos, já que muitos dos peregrinos depois de visitarem Fátima seguem um ritual muito antigo de alcançar o ponto onde a terra acaba e o mar começa. Neste caso, o ponto mais próximo é a Nazaré, de cujo promontório imponente – o Sítio – relacionado com outro milagre, podem observar o sol a mergulhar no mar, uma vista belíssima ao final da tarde.

Nazaré - CM Nazaré
Photo: Nazaré ©CM Nazaré

Caminho do Mar parte do Estoril, junto à Igreja de Santo António e tal como o nome indica segue mais próximo do oceano, passando por Sintra, Mafra, Óbidos e Alcobaça, zonas de grande interesse histórico e monumental, para depois entroncar com o Caminho da Nazaré rumando para o interior em direção a Fátima.

Santuário de Fátima - CM Ourém
Photo: Santuário de Fátima ©CM Ourém

Para além da busca da espiritualidade, percorrer estes caminhos de silêncio e tranquilidade, é também uma oportunidade de desfrutar das paisagens, da Natureza, da gastronomia regional e do contacto com populações genuínas e acolhedoras.

Para mais informações sobre os Caminhos de Fátima consulte o Centro Nacional de Cultura.

 
 

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!